quarta-feira, 16 de maio de 2012

David Mourão-Ferreira



'Nasceu na cidade de Lisboa em 24 de Fevereiro de 1927 e faleceu a 16 de Junho de 1996. Escritor e poeta, licenciado em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1951, onde mais tarde, em 1957, foi professor, destacando-se como um dos maiores poetas portugueses do Século XX.
Mourão-Ferreira escreveu para vários jornais e revistas, dos quais se destacam a Seara Nova e o Diário Popular, e foi um dos fundadores da revista Távola Redonda. No pós-25 de Abril, foi director do jornal A Capital e director-adjunto do O Dia. No governo, desempenhou o cargo de Secretário de Estado da Cultura (de 1976 a Janeiro de 1978, e em 1979).
Foi autor de alguns programas de televisão de que se destacam "Imagens da Poesia Europeia", para a RTP. Autor de letras para vários fados entre os quais Barco Negro, Solidão, Madrugada de Alfama, Maria Lisboa, Abandono, Anda o Sol na Minha Rua, Sombra, etc., imortalizados pela voz de Amália Rodrigues.'




"Penélope

mais do que um sonho: comoção!
sinto-me tonto, enternecido,
quando, de noite, as minhas mãos
são o teu único vestido.

e recompões com essa veste,
que eu, sem saber, tinha tecido,
todo o pudor que desfizeste
como uma teia sem sentido;
todo o pudor que desfizeste
a meu pedido.

mas nesse manto que desfias,
e que depois voltas a pôr,
eu reconheço os melhores dias
do nosso amor."

2 comentários:

  1. Sim Ana Cláudia, a cultura engrandece e aqui você trabalha para isso. [sorrio]
    Bom final de semana!
    Abraços.

    “Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jeferson Cardoso)

    Convido para que leia e comente “GENÉRICO” no http://jefhcardoso.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jeferson ! Bom final de semana para voce tambem =)

      Excluir